Começou ontem (23), o Fórum de Educação Superior que debaterá durante as próximas semanas a Natureza do Trabalho Docente na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). O Fórum, que é uma conquista da Associação dos Docentes da Unemat (ADUNEMAT), tem como objetivo promover discussões sobre o novo sistema de registro biométrico.

O Campus da Unemat de Cáceres foi o primeiro a realizar o Fórum de Educação Superior. As discussões tiveram início às 8h da manhã seguindo até o final da tarde. Durante a manhã, a programação foi estabelecida por uma extensa discussão e apontamentos para compreender as especificidades da carreira docente, principalmente o regime de TIDE, para então propor aos conselhos superiores formas de acompanhamento e registro de assiduidade e atividades de ensino, pesquisa e extensão que realmente sejam condizentes com a carreira docente de ensino superior da UNEMAT.

O Fórum defendeu que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo Ministério Público e subscrito pela gestão da UNEMAT NÃO RESPEITA os princípios constitucionais e infraconstitucionais que regem a Universidade e garantem sua AUTONOMIA, inclusive em relação à gestão de pessoas e das carreiras.

Para a professora Dra. Leni Hack, também representante da diretoria da Associação do Docentes da Unemat (ADUNEMAT), o novo controle via ponto biométrico parte de uma imposição externa, que fere e viola completamente a autonomia universitária.

 

Segundo o Sindicato dos Docentes, ao instituir o controle parcial de 12 horas, das 40h que é a carga-horária da maioria absoluta dos docentes, o  TAC fere a Lei 320 que define o caráter de carreira ao registro de atividades de sala de aula, fere a autonomia da universidade, ao tentar impor instrumento estranho à lógica do trabalho docente como forma de controle de uma assiduidade parcial, insuficiente, mutiladora da própria Universidade que demanda dos docentes muitíssimo mais que as 12h de aula em sala de aula, além de desconsiderar os instrumentos já existentes de controle da atividade docente e o fato dessa ser a carreira MAIS controlada e avaliada do Estado (pelos alunos em sala, nos programas de pós-graduação, nas comunidades e grupos de pesquisa e extensão, pelos veículos de publicação de periódicos, pelos sistema de avaliação da própria universidade e pelos mecanismos de avaliação externa como ENADE e seleções e defesas para obtenção de títulos acadêmicos).

No período da tarde, as discussões tiveram continuidade, inclusive na tentativa de propor alternativas à biometria. A Minuta, que faz parte da programação oficial do Fórum, e que encerraria o dia de programação no Câmpus de Cáceres, foi adiada para hoje (24). Segundo a professora e representante da Adunemat subseção de Cáceres, Dra Giulianna Zilocchi, o Fórum está sendo de suma importância nesse processo, e a Minuta que concluirá os debates em Cáceres será efetivada a partir das 13h:30 desta terça-feira devido a extensão e densidade dos debates com a base.

O Fórum de Educação Superior continua com a programação integral em mais dez cidades com Câmpus da Unemat. O próximo a realizar o Fórum será Sinop/Colíder, em um Fórum conjunto entre os dois Câmpus. Em Sinop, o Fórum acontece no anfiteatro da Unemat, com início às 8h. Na sexta-feira (27), os Câmpus de Barra do Bugres e Tangará da Serra também realizam o Fórum de Educação Superior, também com início às 8h da manhã, com o local a confirmar. O Fórum segue até o dia 04 de outubro até contemplar todos os Câmpus da Unemat.