A paralisação acontece no próximo dia 13 de agosto

Os professores da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) decidiram em assembleia geral extraordinária, realizada hoje (9), em Cáceres, pela adesão à Greve Nacional em Defesa da Educação na próxima terça-feira (13). A greve que é uma agenda nacional também tem como ponto de luta a defesa da democracia, a luta contra a Reforma da Previdência (PEC 06/2019) e o contra o novo projeto do Ministério da Educação “Future-se”.

Além da paralisação das atividades durante todo o dia 13, com retorno das atividades na quarta-feira (14), os docentes aprovaram também a orientação do Sindicato de promover a mobilização para a efetivação de atividades nos Campi da universidade, com flexibilidade para cada subseção promover sua programação de forma autônoma.

A greve que toma corpo nacionalmente, está sendo construída em conjunto pelas entidades de trabalhadores da educação e o movimento estudantil. E buscará envolver todos os setores da sociedade. No Estado, além da Unemat, instituições como a UFMT e o IFMT também aderiram à Greve Nacional da Educação.

Para a presidente do Sindicato, Sílvia Nunes, a adesão da Greve é fundamental para a categoria dos docentes, considerando o desenfreado desmonte da educação pública promovido pelo atual governo e, que promove a passos curtos o desmonte também da previdência social, por meio da nefasta Reforma da Previdência. Além do ataque à democracia que tem tomado proporções imensuráveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here