O Fórum Sindical dos servidores Públicos de Mato Grosso se reuniu na tarde desta terça-feira (11) para uma coletiva de imprensa que abordou sistematicamente o posicionamento contrário dos Sindicatos diante da PEC 06/2020. Segundo os dirigentes do Fórum, a Reforma da Previdência de Mato Grosso como está é truculenta, pois o texto original da PEC encaminhado pelo governador Mauro Mendes (DEM) no início deste ano não inclui nenhuma Emenda proposta pelo Fórum que amenize os danos aos servidores do Estado.

A Reforma da Previdência, que está em tramitação na Assembleia Legislativa com possibilidade de ter sua segunda votação na próxima quarta-feira (12), não teve nenhuma regra de transição acatada durante a primeira votação, o que mostra resistência por parte Governo Mauro Mendes em estabelecer diálogo e abrir negociações para fazer com que a Reforma do Estado seja menos danosa.

Segundo Associação dos Docentes da Unemat ( ADUNEMAT), as regras de transição se mostram como uma alternativa de reverter a situação e garantir que os servidores não sejam ainda mais penalizados pela Reforma Estadual. “Se o Governo não abrir negociação, pedimos aos Deputados que votem NÃO à PEC 06/2020”, reforçou o Sindicato pelas redes sociais.

Além da participação na Coletiva de Imprensa, a ADUNEMAT convocou sua base para vir a Cuiabá participar da III carreata promovida pelo Fórum Sindical Contra a Reforma da Previdência, com objetivo de sensibilizar os Deputados e o Governo a abrir o diálogo frente ao confisco promovido pelo atual Projeto da Reforma, a carreata acontecerá nesta quarta-feira (12), às 7h30, no Centro Político Administrativo. Caso não haja negociação, o Sindicato reforça a necessidade de pedir aos deputados que digam não à PEC. “Esperamos que se abra o diálogo com os Deputados e Deputada, assim como com o Governador”, reforça a professora Luciene Neves representante da Adunemat.